Notícias

Voltar

73ª Edição

Caso não esteja visualizando as imagens, clique aqui

 

Cartas, telefonemas e mensagens por WhatsApp agitam a Praça dos Três Poderes 

A semana em Brasília foi agitada e com muitas conversas trocadas por diversos canais. O presidente Michel Temer foi de carta e telefone, bem ao estilo “old school”. Preocupado em garantir votos no Congresso para rejeitar a segunda denúncia da Procuradoria Geral da República que o acusa de organização criminosa e obstrução da Justiça, ele escreveu carta a 453 parlamentares, de próprio punho. O missivista se disse vítima de “torpezas e vilanias”.

E quando o telefone de Temer tocou, na segunda-feira (17), o presidente atendeu de pronto. No outro lado da linha, o repórter do Globo pergunta: “Estou falando com o presidente, não estou”? “Perfeitamente”, responde Temer, depois de negar que o número fosse do Palácio do Planalto e de sugerir que o jornalista ligasse para o gabinete presidencial e falasse com a dona Nara.

No prédio do Supremo, também na Praça dos Três Poderes, relatório da Polícia Federal revela que a intensa comunicação entre o ministro Gilmar Mendes e o senador Aécio Neves. No total, há o registro de 46 ligações entre eles por meio de WhatsApp no período de 16 de março e 13 de maio. Uma dessas ligações foi em 25 de abril, data em que Gilmar deu decisão favorável a Aécio para ele não depor na PF.

Em outra ligação grampeada pela PF há o registro de uma conversa entre os dois em 26 de abril, na qual Aécio pede ajuda de Gilmar na votação do projeto de abuso de autoridade no Senado, falando com o senador paraense Flexa Ribeiro. O ministro diz que fará a ligação.

Aécio também trocou mensagens via WhatsApp com o aliado Antonio Anastasia, momentos antes da votação no Senado que livrou o tucano, na terça-feira (17). “Faz uma defesa da minha trajetória”, pediu.

O aprendizado de comunicação aqui diz respeito ao cuidado que todos os porta-vozes, especialmente altas autoridades públicas, devem ter. Vive-se num tempo de convergência de mídias, com a sociedade conectada em redes sociais digitais e usuária de aplicativos de mensagens de texto e voz instantâneas. As boas práticas recomendam conversas públicas, transparentes e registradas em agendas oficiais.

Leia mais

Aqui também

Cuidado ao postar sobre os pratos que você pede em restaurantes 

Por causa de seus posts no Instagram, uma empresária teve negado seu pedido de justiça gratuita num processo de cobrança de cerca de R$ 500 mil contra um ex-sócio. O juiz Emerson Bertemes, da 2ª Vara Cível de Florianópolis foi dar uma olhada no Instagram da empresária, e encontrou, além de retratos em Berverly Hills e em Hollywood, fotos tiradas em restaurantes frequentados nas viagens. Na sentença, o juiz concluiu que a empresária não levava a vida miserável que alegara para pedir o benefício da gratuidade.

Só as fotos dos pratos de comidas postados já pagam e ainda sobra para as custas deste processo”, afirmou o juiz.

Confira

Quem está espiando na janela? 

Estampada na capa dos jornais e nos sites de notícias on-line, a foto mostra Aécio Neves espiando jornalistas que estavam em frente de sua casa, após a vitória do Senado, que o libera do recolhimento noturno.

A assessoria de Aécio nega que ele seja a pessoa na janela, e pessoas próximas ao senador dizem se tratar de um jornalista.  O fotógrafo Luis Nova, da agência D.A Press, do jornal Correio Braziliense, afirmou que é o senador, e diz que permaneceu em frente à casa dele entre 17h30 e 23h30. A Folha não conseguiu confirmar quem é de fato o homem fotografado na janela.

Veja aqui

 

Twitter Telefone Facebook E-mail